O “avô” dos arranha-céus – O Sampaio Moreira

A cidade de São Paulo possui um incrível leque de prédios famosos e com história para contar. Um desses edifícios é o famoso Sampaio Moreira.

Com um projeto arquitetônico de características ecléticas paulistas, o edifício foi projetado por Christiano Stockler e Samuel das Neves.

O prédio, que foi o mais alto da cidade entre os anos de 1924, data de sua inauguração, e 1929, ano de inauguração do Martinelli, conta com 12 andares e 50 metros de altura. O Sampaio Moreira é conhecido como o “avô” dos arranha-céus paulistanos e considerado o primeiro edifício de grande porte da cidade de São Paulo.

Na época que foi inaugurado a cidade parou.  Os edifícios, que até então eram compostos por no máximo 4 pavimentos, sofreram uma revolução com a entrada do novo conceito de engenharia e arquitetura.

Edifício Sampaio Moreira em 1924.
Edifício Sampaio Moreira em 1924.

O edifício é um testemunho das mudanças dos modelos culturais europeus para os modelos norte americanos. Ele possui elementos decorativos típicos do estilo Luis XVI, recriado segundo o gosto da época.Para que sua construção fosse liberada pelas autoridades públicas, foi necessário fazer uma alteração no código de Obras de 1923, possível graças ao prestígio de um dos mais importantes arquitetos da época – Cristiano Stockler das Neves.

Foi administrado pela família Sampaio Moreira e utilizado como edifício comercial. Desde sua inauguração, o edifício abriga em seu pavimento térreo a Mercearia Godinho, tradicional estabelecimento comercial de São Paulo, fundado em 1890, então na Praça da .

Construído pelo português José de Sampaio Moreira, é tombado pelo COMPRESP (Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Histórico de São Paulo) devido a sua importância histórica e arquitetônica.

O edifício passou por uma grande reforma estrutural em 1990, mas a entrada, com um enorme painel de localização em madeira maciça e letras douradas, as escadarias de mármore de Carrara e alguns detalhes como as esquadrias das janelas, de pinho-de-riga, foram preservados.

Uma consideração triste é a de que os cristais do lustre foram substituídos por vidro depois de uma queda que o deixou em estilhaços. O piso da entrada é original, com quadrados de mármore preto e branco como num jogo de damas.

Os elevadores suecos Brothers tiveram os motores revisados e ainda mantém o design: pórticos de mármore, paredes vermelhas, porta de ferro vazado, espelhos trabalhados, manivela (hoje aposentada) e adornos dourados.

Em 2010 o Sampaio Moreira foi desapropriado pela Prefeitura Municipal de São Paulo e, em 2012, foram iniciados trabalhos de recuperação e restauração do edifício.O Sampaio Moreira está localizado na Rua Líbero Badaró, 346.

Veja também

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

%d blogueiros gostam disto: